CAP 0 - O.2 - Depois do Prologo

Como poderia eu começar este relato sem falar das minhas primeiras duas namoradas? Sim, duas. Desde pequeno já era safado. E não era um caso dos comuns aos 5 ou 6 anos de idade, porque a coisa era internacional. Tinha uma namorada brasileira no colégio em Livramento e uma Uruguaia no bairro onde morava meus avos.
Como devia ser a coisa que as duas fazem, até o dia de hoje logicamente,  aniversario no mesmo dia.
Acho que foi justamente esse o dia em que aprendi que a sociedade estava errada por chamar a mulher de o sexo frágil. Indignação não foi nada comparado ao sentimento de bola fora com direito a escanteio DUPLO.
Naquele dia meu avo já tinha sido informado por mim no dia anterior que deveria conseguir pra mim duas rosas. Era pra eu entregar uma pra cada menina com um beijo de feliz aniversario.
Aconteceu assim, depois do almoço com a mochila nas costas e uma das duas rosas na mão subi no voyage branco do meu avo rumo a outro dia de aula normal pra todos especial pra mim.
Sei que tive que cuidar daquela primeira rosa todos os 5 períodos do dia, porque logicamente dia do aniversario ninguém vai pra aula verdade?
Na saída resolvi fazer uma surpresa para a fulana de tal e pedi pro meu avo parar na casa dela antes de ir pra casa que eu queria desejar feliz aniversario e entregar a rosa.
Paramos o carro pouco pra frente pois não tinha lugar na porta da casa dela então eu desci com a rosa na mão e fui direção a porta. Era daquelas casas que tem a porta dupla de madeira na frente um corredorzinho e mais uma porta dupla com vidro no meio e uma cortina fazendo papel da privacidade.
Naquela época, não existia a loucura de hoje, a primeira porta sempre estava aberta. Apos de apertar a campainha pela terceira vez e não ser atendido percebi que a musica estava alta no interior da casa, preparativos da festa que começaria dentro de poucas horas.
Fui até a porta para bater nela, a segunda porta que estava fechada e deu para olhar pela frestinha da cortina que ELA estava dançando com outro.
A rosa não sei que fim levou mas minha duvida tinha sido esclarecida, não tenho motivos para colocar na balança, ela despencou pro lado uruguaio do parque internacional dando inicio a minha vida sentimental, começou aqui dia 26 do terceiro mês do ano... do ano... do ano...pra mim todo 26 de Março significa a proclamação da liberdade cardíaca para aprender a  amar.

© 2020 by JP Designs.

  • w-facebook
  • Twitter Clean